domingo, 3 de setembro de 2006

15 de Setembro de 1984


Estávamos tomando o habitual café da tarde no final de semana.
Já não me lembro como chegamos ao assunto sobre signos. Minha mãe, sempre, defendendo a idéia de que essas coisas são tollices {a partir deste dia percebi que realmente não são!}.
Estranhamente meus pais estavam sentados na posição errada na mesa, porque geralmente {não que seja uma regra em casa!} eu sento numa letaral da mesa, minha irmã à minha frente, meu pai numa ponta e minha mãe na outra; mas neste dia eles estavam de frente para mim, um ao lado do outro. Ainda no assunto do signo, comentei:
- Por um dia eu não sou do signo de Virgem!
- Um dia não. Oito dias! - meu pai respondeu.
Eu fiz aquela cara, conhecida por cara de interrogação. Bem, eu sei que vocês não conhecem o meu pai, mas esta cena é muito comum quando ele fala algo. Ele é um homem bastante enigmático e adora fazer piada. Depois do-não-entendi, soltei:
- Por quê?
- Porque são 8 dias, ué?!
Eu insisti no porque são oito dias e ele:
- Porque você nasceu no dia 15 de Setembro, não no dia 23.
- Como assim?
Desta vez a fala é da minha mãe:
- Em Piatã, no dia do seu nascimento, os escrivães estavam de greve e para não pagar multa nós a registramos no dia 23, porque não tínhamos dinheiro.
- Ah! - resmunguei prolongadamente, um pouco tonta pelas informações.

Confesso que me senti um pouco estranha com esta conversa, ainda mais quando a minha mãe deu um cutucão no meu pai, dizendo:
- Por que você foi falar isso para a menina?
Eu me senti enganada. Porque o dia mais importante da minha vida foi revelado após 18 anos após o meu nascimento. Passei o dia inteiro pensando no que mais poderia ser mentira. Mentira, não. Há mais coisas ocultas? O que mais poderia ser que não é?
Isso durou até que o dia acabou e o novo dia chegou, porque notei que a revelação não fizera diferença na minha vida nem na minha personalidade. Então, este ano, em homenagem a esta coisa tipicamente baiana, resolvi comemorar meu aniversário nos dois dias, tanto no dia 15 quando no dia 23!!!

Viva Setembro!
O mês das flores!
Fui recebida com flores e partirei com flores {espero!}!

6 comentários:

Adão Flehr disse...

Minha mãe, tbm baiana da remota localidade de "Tabuleiro do Castro", descobriu há alguns anos que não nasceu na data que pensou em toda a sua vida, assim como vc. A diferença é que ela descobriu aos sessenta e poucos anos que foi registrada somente, 5 ANOS DEPOIS!!!
---

Esta sua estória me lembrou desta outra da minha mãe. Coisas tipicamente baianas, como vc disse!

---
De qq forma, adorei a solução que vc encontrou: duas comemorações, duas datas, alegria em dobro!!

---

Viva setembro!
e viva vc!

b-joooos (festivos)

Lizzie disse...

Nossa flor!Vc não nasceu na data que previa ter nascido?!? ISto é um tanto quanto incomum, como foram lhe registrar depois...Pensei que nesses casos os pais contariam aos filhos, não?!?

Viva setembro!
Que seja esta primavera de sonhos multicores a mais bela da estação dos amores. Nos versos da vida, na alma das flores^^

Beijos flor, adoro-te :*

ELTON disse...

Ah! tsc...!
Eu já sabia! O.O

Kiss!

karen disse...

OI GURIA!
signos;;; sou capricorniana, com gênio dificil... levo tudo à serio, coisa mais sem graça! hehe

primavera... chegando... coisa boa! aqui ta congelando!
beisitos

Lizzie disse...

Valha-me.Ainda estou surpresa com a sua história de aniversário.Se acontecesse o mesmo comigo, eu ficaria em total desconforto e desespero.
É incrível mas se eu soubesse que não sou leonina como sou, acho que ficaria um mês inteira enlouquecida!Rs

Beijos querida, amo-te!

reflexoes depois disse...

SAUDADES!!! Oba.. duas datas é tudo de bom... beijos.