sábado, 4 de agosto de 2007

Num certo dia, quando me sentia "pequenininha", assustada e quase de volta ao controle dos meus sentidos uma pessoa apertou a minha mão, dizendo-me: "Eu sinto, Tá. Você tem uma luz muito forte".

Lavei a alma com minhas próprias lágrimas...

6 comentários:

Edson Marques disse...

Tamara,


Belíssimo texto!


Tem o pode de "lavar a alma" de todo mundo que tem sensibilidade!


Abraços, flores, estrelas..

.

Felipe Fanuel disse...

A sua luz é brilhante — não é redundância — e chega a arder os olhos. Se há quem duvide, é só gastar tempo lendo o patrimônio escritural publicado aqui por você. Mas aviso logo: quem não tiver colírio, que use óculos escuros!

Elcio Domingues disse...

Tem espelho a� Se quiser saber, d� uma olhadinha nele. rs.

Por onde vc anda, hein, sua "diabinha" de luz? Aprontando, tenho certeza. CONFESSE, VAMOS! hahaha!!!

Beijinho, Thammareska!

Elcio Domingues.

Adão Flehr disse...

Estes momentos são sempre fortes, e nos servem para lembrar que em momento algum estamos totalmente sós, e que mesmo sem perceber a nossa presença ilumina os arredores...

B-jos iluminados!

Alysson Amorim disse...

Tamara, minha querida.

De fato, trata-se de um autêntico lavar de pés. A experiência religiosa realizando-se onde menos se espera: na epiderme humana.

Só lamento que você não nos ilumune com uma frequência maior aqui em seu ofuscante blog.

B-joletas. =)

Janete Cardoso disse...

"Quando estamos fracos, aí é que somos fortes" já disse o Apóstolo Paulo.
Não duvide nunca,linda!
Mesmo num dia desses, vc continua sendo luz nas nossas vidas! bjs