sábado, 9 de agosto de 2008

Bendigo filho meu!

As pernas em sukhásana sustentam o corpo firme e alongado. As mãos em Shiva mudrá envolvem a barriga de 7 meses. Os seios fartos e robustos emolduram-lhe quais jóias raras. Os lábios pintam um sutil e enigmático sorriso avermelhado. Os cabelos soltos ao vento dos ombros. O arrepio dos pêlos conferindo-lhe mais quietude. Os sentidos conscientes escutam as vivazes pulsações cardíacas – é o ser que desabrocha e movimenta dentro do seu ser. O ouvido esquerdo condescende ao seu próprio coração. O direito une-se ao pequenino coração fecundo – uma perfeita dissonante suavidade. Seus olhos interiorizados acompanham o subir e descer do abdómen. O ar expelido por ele hipnotiza sua pele ouriçada. Os dedos intensos tocam ternura pelo corpo formado eqüidistante. Ela o beija tacitamente e o espera nascer mergulhada na paciência do instante.


Ouça junto: Suíte nº 1

6 comentários:

Janete Cardoso disse...

Não existe momento mais lindo!
E que foto maravilhosa! :)

beijos

Guria disse...

Isso deve ser uma emoção sem igual... com certeza, mas em mim quero que demore muito pra acontecer.
Mas afinal, quem está esperando um bb??

Beijos queridona

Felipe Fanuel disse...

Tamara,

Esse é um texto digno de prenhado de sagrada ternura. A vida é divina!

Felipe Fanuel disse...

Imagina a mulher, de cujo ventre provém todo/a aquele/a que pensa.

Guria disse...

saudade de ti

Bárbara disse...

Coisa mais linda, Tamara! Se você já sabia por em palavras a três anos atrás, imagino o que não escrevera quando passar pela gestação/maternidade! Lindo demais mesmo! Parabéns.