segunda-feira, 22 de junho de 2009

Sublime estar

Ouço a respiração do mundo através da fresta da minha janela. O pulsar e o vibrar me põem para fora. Na sacada, minha pele é acariciada pelo ar. Abro os braços. Giro. Giro. Giro sem parar. Dou gargalhadas mudas de euforia. A madrugada permanece mansa. A cidade pausada. E toda gente adormecida. Toda gente adormecida nos sentidos dormentes. Apenas eu estou a contemplar o íntimo do convidativo mundo. O teu som me embala. Deixa-me extática. Abro o portão do mundo e corro por aí. O teu sopro brando se torna mais enérgico. Eu me torno mais veloz. Mais leve. Alongo os meus braços e delineo um largo sorriso. Porque voo. Voo centímetros acima do asfalto. Voo para o âmago do absoluto mundo.


2 comentários:

Thiago Almeida disse...

Lindo demais!
Parabéns!!!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Esse voo traz liberdade ao seu texto cheio de expressão... lindo!

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-