sexta-feira, 6 de abril de 2007

Lenda Urbana

Toda noite, vozes me assombram. São vozes tão falantes, contam o que fiz, o que deveria fazer, o que eu posso fazer e o que eu gostaria de fazer.

O silêncio seria O Exorcista.

Toda noite, escuto as vozes do motor do carro, ouço a voz do barulho vindo da lage, escuto a voz do cantor da música "esvaindo" do aparelho de som do vizinho, ouço a voz do vento tocando a fresta da janela.

O silêncio seria O Alívio.

Toda noite, à cada exercício, eu aprendo que o silêncio é uma lenda urbana.

5 comentários:

Edson Marques disse...

O "silêncio é uma lenda urbana".

Tua palavra, uma legenda!





Abraços, flores, estrelas...


...e um Jesus de Chocolate pra você!

Janete Cardoso disse...

Vozes de dentro, vozes de fora...o silêncio é uma presença quase sempre ausente!rsrsrs
b-joletas, querida!

Elcio Domingues disse...

Tamy:

No outro dia as pessoas saíram apressadas elevador quando eu comecei a dar murros na minha própria cabeça e a dizer baixinho: "CALEM-SE! CALEM-SE! CALEM-SE!". Por que será? HAHAHAHA!!!

B-joletas do coelhinho pra vc!

Elcio Domingues.

Adão Flehr disse...

O silêncio é um grito mudo. às vezes de dor, outras, de prazer.

b-jos e boa páscoa!

Felipe Fanuel disse...

O silêncio se cala na calada da noite. Mas há vozes que vivem nos pertubando.

Pois é a dialética exorcista-alívio que nos faz ser gente, aprendendo desta lenda urbana.

Ser-e-não-ser, eis a questão!