terça-feira, 27 de maio de 2008

Um pouco de tristeza...

... não faz mal (nem bem!) a ninguém.

Ainda me acostumando à idéia de chegar da faculdade, de madrugada, e não mais encontrar o único ser que fazia questão de ganhar cafuné na barriguinha, subir no meu colo e me dar beijinhos de fucinho gelado. Saudade do chorinho da doguinha pedindo atenção, das nossas "apostas" de corrida (ela ficava brava quando eu chegava primeiro!) e dos banhos de sol na sacada.

Ainda superando o susto e aliviada com a alta do meu pai, mesmo sabendo que ele sente bastante dor.

É essa tristeza passageira que me deixa assim tão borocoxô...

3 comentários:

Janete Cardoso disse...

Oh, meu bem!
Os momentos de tristeza, são necessários, primeiro pra que a gente entenda o quanto é pequeno e segundo, pra que reconheça que há alguém Enorme, segurando a gente no colo! :)

Vem ler de quem tô falando!
beijão e força!

Felipe Fanuel disse...

Tami,

Deixe todas as lágrimas caírem no chão, porque elas são sementinhas que darão muitos frutos de uma alegria que há de irromper em você. Sofrimento faz parte da vida, mas não é eterno. Embora sua noite pode ser chorosa, quem sabe a sua manhã não venha repleta de risos!

Sou pessimista e creio que nós humanos somos seres tristes por natureza. Acontece que há alguma coisa dentro da gente que insiste em negar essa condição tristonha, nostálgica e cheia de trevas. Quando isso ocorre, irrompe algo que transcende nossa própria existência.

Tudo isso porque estamos apegados ao medo de viver fora do ventre materno, aquele paraíso, cheio de delícias, em cujo jardim só havia flores. Por que nos foi necessário nascer e não morar no Éden chamado útero eternamente?

Vou parar por aqui senão precisarei de ombros para chorar também.

Um beijo carinhoso.

Eliana disse...

Poxa querida, precisamos viver a tristeza, como tudo. Mas espero que assim que essa passar um filhotinho venha puxar suas meias! Beijossssss