quarta-feira, 7 de junho de 2006

De: Amante

Para: Esposa

Querida, observe como seu "marido da aquirente" retorna aos sábados. Observe com quem ele anda no "porre legal". Alerto-lhe, pois senti-me traída quando soube da sua existência...

Um comentário:

Adão Flehr disse...

Tamara,
Mesmo os seus textos mais herméticos me dizem algo. Este me lembrou um texto de uma canção do Paulinho Moska: "Sempre a meta de uma seta no alvo
Mas o alvo, na certa não te espera

Então me diz qual é a graça
De já saber o fim da estrada
Quando se parte rumo ao nada..."

Atinjiste o alvo? Depois me diga...

Bjos,